quinta-feira, 29 de novembro de 2012

DIY: Planificador Semanal/Weekly Planner



Com o curso a acabar, o trabalho de investigação, e tudo o que tenho com que me preocupar, é normal que normalmente me esqueça de metade das coisas que tenho para fazer.

Arranjar um planificador semanal é uma coisa que está na minha lista há muito tempo, mas para mim sempre foi difícil encontrar um que realmente goste. A maioria dos planificadores engraçados que encontro estão ou muito vocacionados para o trabalho ou para a vida familiar, coisa que a mim não se aplica. O que eu queria era mesmo uma coisa original, que para além de prática fosse também divertida.

Quando vi este planificador da Arian Armstrong de downloadgratuito, nem queria acreditar. Era mesmo isto!

Depois foi só comprar uma moldura branca, simples, e todas as semanas vou apontando o que tenho para fazer, escrevendo com uma caneta de acetato por cima do vidro. Espero que gostem da ideia e que vos dê jeito também!

Para mais ilustrações da Arian Armstrong cliquem aqui.


With all the troubles coming from finishing my masters and the investigation work I’m doing, it’s only normal I usually forget most of the things I am supposed to do.

Finding a weekly planner was on top of my to do list for a very long time, but for me it was always hard to find one I really liked. Most of the planners I find on the web are about work or family life, which is not my thing. What I really wanted was something original, practical and fun.

When I saw this free planner from Arian Armstrong I couldn’t believe it. That was it!

After printing I only had to buy a simple white canvas and every week I can make a note of my tasks with a glass pen, on top of the glass. I hope you’ll enjoy the idea and use it for you too!

To find out more illustrations from Arian Armstrong click here.






Alcagoita

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Sobre retrosarias/ about haberdasheries



As retrosarias fazem parte da minha vida, desde muito pequena. Quer a acompanhar a avó, a mãe ou a minha tia-avó, volta e meia lá ia eu rua abaixo comprar a linha para fazer a renda, ou as lãs para uma nova blusa.

Na baixa de Lisboa, existe uma rua, uma rua mágica cheia de retrosarias onde muitas vezes me perco só a olhar para as montras. Gosto da sensação de estar num sítio que já era assim antes de eu existir. Estas são retrosarias com história. Deixo-vos algumas fotos da rua da Conceição.

Se gostam de retrosarias e estão de visita, não deixem de passar por aqui.

(hoje aprendi uma palavra nova em inglês, haberdasheries. É tão engraçado de se dizer em voz alta!)

The haberdasheries are an important part of my life, ever since I was a little girl. Weather I went with my granny, mom or grand-auntie, every now and then there I would go down the street to buy some string or wool to make a new blouse, or just the regular lace.

In Lisbon downtown you can find a magical street full of haberdasheries where I often lose myself just by looking at the store’s windows. I like the feeling of being in a place that it was just like that long before I was born. This are the haberdasheries with a story to tell. I leave you some photos of Conceição’s street.

If you like haberdasheries and you’re visiting Lisbon, don’t hesitate to stop by this street.

(today I learned a new English word, “haberdasheries”. It’s so funny to say it out loud!)







Alcagoita

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

DIY: chaveiro a partir de LEGOS/ DIY: A key holder made from LEGOS


Há algum tempo um amigo meu mostrou me um chaveiro muito parecido com este, feito com legos. Como adoro legos, não podia deixar de experimentar e este fim de semana saiu este projecto, tão fácil, tão divertido e tão original. Fico com pena de não vos conseguir mostrar o original nem dar o devido crédito, mas infelizmente não fiquei com nenhuma informação, só a ideia.

Este chaveiro é muito fácil de fazer, como podem perceber. Apenas têm que fazer um furo com um prego em cada uma das peças, sempre com cuidado para não partir. Na peça que vai ficar na parede, utilizem o prego que que vão usar para o colocar na parede para que o diâmetro seja o ideal.

E pronto! Demora mais ou menos 5 minutos e torna logo a casa original!

Some time ago a friend of mine showed me a picture about a key holder just like this one, made out of legos. Since I am a huge lego fan, I just had to do it so this weekend I made this little project, which is so easy, fun and original. I am terrible sorry that I have no information on the original source, since I only saw the image and got the idea.

This key holder is very easy to make, has you can see. You just need to make a hole with a nail into all of the lego pieces carefully, so they don’t break. In the main piece which is to go to the wall, you should use the nail you are going to use to puncture the wall, so the nail and the piece have the same diameter.

And that’s it! It takes more or less 5 minutes to do it and your house will be much more original!





Alcagoita

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

O saco do YOGA / YOGA bag



No final de Setembro inscrevi-me numa aula de YOGA que está a funcionar na minha faculdade e não estou nada arrependida. Para além dos benefícios óbvios, tanto a nível corporal como mental estas aulas têm me ajudado imenso nos meus problemas respiratórios. As terças-feiras são agora uns dos meus dias favoritos da semana, e o YOGA uma coisa imprescindível.

Como já não fazia desporto regular há algum tempo, tive que fazer à pressa este saco para o YOGA, muito fácil e prático. A ideia é ser fácil de usar, mas também fácil de colocar dentro da mala.

E vocês? Já praticaram ou praticam YOGA?

By the end of September I signed out for a YOGA class in my university and I simply adore it. Besides the obvious benefits, in my body and mind, this class actually is helping me a lot with my breathing problems. Tuesdays are now one of my favorite days of the week and YOGA something indispensable.

Because I was not a sport’s person for a while, I had to make this bag very quickly so I could use it on my YOGA classes and it’s very easy and practical. The idea is to be easy to use and at the same time easy to put inside my bag.

And how about you? Have you practiced YOGA or are you practicing now?




Alcagoita

domingo, 11 de novembro de 2012

Agulhas de Crochet/ Crochet needles : CLOVER


Nunca fui pessoa de comprar agulhas. Todas as que tenho foram oferecidas, desde as minhas maravilhosas agulhas de madeira até ás agulhas metálicas que a minha mãe me deu, para ter sempre à mão os números todos.

Há já algum tempo que andava a namorar as agulhas de crochet da Clover, e foi numa ida à retrosaria Biju na baixa que me rendi aos encantos deste adorável ganchinho.

Digam o que disserem, é verdade: a forma e a textura das agulhas interessa e bem, especialmente se o crochet é algo que fazem com alguma regularidade. Já tinha alguns produtos da Clover, e podem crer que este foi também uma excelente aquisição! Espero em breve (haja tempo!) fazer aqui uma pequena crítica ao tipo de agulhas que existem, e como as uso. E vocês? Levam este assunto a sério?

I was never a person who bought crochet needles. Every single one I have was offered, from my wooden ones to the metallic ones that my mother gave to me so I could have one needle of each number.

For a long time I had my eyes on the Clover crochet needles, and it was a simple trip to Biju, a store downtown, that convinced me to buy and have this adorable hook.

No matter what people say, it is true; the shape and the texture of needles does matters, especially if you’re doing your crochet projects on a regular basis. I already had some products from Clover and this too was a great acquisition! I am hoping that soon (oh boy, when will I have the time!) I will be posting here a little review on what type of needles there is out there and how I use them. And how about you? Do you take your crochet needles seriously?




Alcagoita

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

DIY: notebooks



Como estou no meu último ano do mestrado, a quantidade de projectos e trabalhos acumula-se, já para não falar do tempo que passo no laboratório de roda das amostras. Muitas vezes chega ao fim do dia, e não me consigo lembrar de metade das coisas que tinha para fazer, ou então dou por mim com uma lista tão grande de tarefas que nem as consigo ordenar por prioridade. Para isto, inevitavelmente, duas coisas são necessárias: Umas boas chávenas de chá e café para controlar a cabeça e um bloco de notas, onde vou apontando tudo o que preciso. A primeira parte é fácil; a segunda, já envolve comprar um notebook, o que de momento não é um gasto prioritário. Foi mais por necessidade do que por prazer, que esta ideia surgiu: criar os meus próprios notebooks.

Because I am in the last year of my master degree, the amount of work and projects that I need to do incredible. And I am not even considering the time I spend in the lab preparing the samples. Many times, by the end of the day I can’t remember half of the things I need to do or other times I have such a huge list of things to do that I cannot order them by their importance. For me to manage that, two things are important: First, I need some good old fashioned cups of tea and coffee to control my head and second I need a notebook, to write everything I need. The first part is easy; the second involves me buying a new notebook, which is not something I want to spend my money on. It was more out of necessity than fun that I came up with this idea: to create my own notebooks.



Decidi assim partilhar convosco como fiz estes notebooks, porque são fáceis e para mim conseguem competir com muitos daqueles que comemos com os olhos nas papelarias. Aqui vai a minha receita para notebooks, espero que gostem e se tiverem dúvidas não hesitem em perguntar!

So I decided to share with you how I made this notebooks, because they are really easy to make and really can resemble with the ones we always want to buy in the notebook’s stores. This is the steps I followed to do them, I hope you’ll enjoy and if you have any doubts please ask!

Material:
Folhas A5 ou então folhas A4 cortadas ao meio (esta última foi a minha opção!)
Tesoura
X-acto
Papel autocolante
Revistas com imagens que vos saltem à atenção. Quando mais grosso for o papel da revista, melhor o resultado final (podem sempre reforça-lo com cartão).
Linha
Agulha grossa

Materials:
Sheets size A5 ou A4 sheets cut in half (this is actually what I made)
Scissor
Cutter
Transparent sticker sheets (I hope you can have the idea, I don’t know how this is called in English)
Magazines with images that jump to your attention. The thicker the paper, the better the final result (you can always reinforce it with cardboard).
Thread
Thick needle



Primeiro, cortem uma imagem A5 da revista que vos interesse ou salte à atenção.
Juntem a imagem às folhas A5 e cosam ao meio com a linha. Diria que o melhor é linha branca, mas claro está, fica ao vosso gosto. No final deve ficar qualquer coisa deste género:

First, you cut an image of the magazine with an A5 size.
Now you join the image to the A5 sheets, and sew the middle, with thread. My advice is to use white thread, but then again, it’s your decision. In the end it should look more or less like this:




Agora, é só plastificar com o papel autocolante e já está. Com a tesoura ou o X-acto acertem as pontas e fica feito! Fácil, não é? E tudo com material que podem encontrar espalhado pela casa! Espero que gostem!


Now you just need to use the plastic paper in the outside and that is it. With the scissor or the cutter align the borders and that’s it! Easy, right? And all of it with material you can find around the house! I hope you enjoy!



Bichinhos na Cabeça

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Lomografia: Diana mini / Lomography: Diana mini


No outro dia estava a rever algumas fotografias e cheguei à conclusão que nunca aqui falei a sério sobre lomografia. Quando descobri a lomografia pela primeira vez, fiquei maravilhada. Desde pequena que percorro os álbuns de fotografia da minha avó com imenso carinho e admiração. A lomografia é para mim uma maneira de obter hoje imagens nostálgicas e diferentes, com valor, únicas e excepcionais. No mundo actual onde tudo é digital e perfeito, sabe bem ter algo que não conseguimos controlar e cujo resultado é uma surpresa.

Portanto hoje vou falar-vos um pouco da minha camera e porque a escolhi, pois considero importante terem algum feedback caso pretendam comprar uma camera. Espero que gostem!


The other day I was watching some pictures and I came to the conclusion that I have never said anything serious here about lomography. When I first discovered it, I was simply amazed. Ever since I was a little girl I loved to watch my grandma old photo albums, they filled me with great joy and admiration. To me, lomography is a way of getting those nostalgic and different images, with a value, unique and exceptional. Nowadays where everything is digital and perfect, it tastes good to have something we can’t control with a result which is always a surprise.

So today I will tell you which camera did I choose and why, because I think it is important if you are thinking about buying one to have some feedback of cameras. I hope you’ll enjoy





Escolha da câmera.

Não vou estarei a mentir se vos disser que demorei cerca de 3 meses a escolher a máquina ideal para mim, com muitas idas à embaixada lomográfica em Lisboa e muitas conversas com amigos.

No final decidi-me pela Diana mini, por várias razões:
  •          A diana mini usa filmes de 35mm, que continuam a ser os mais fáceis de encontrar. Quando vou de férias, quero estar descansada a tirar fotografias sem pensar que tenho que poupar rolo. Este foi um factor condicionante.
  •          A diana mini continua a ser uma das máquinas mais fofinhas de sempre. Quando era pequena tive uma máquina de brincar muito parecida com esta, por isso, para além de tirar fotografias a minha querida lomo é uma brincadeira pegada. Penso que é importante gostar do design da nossa máquina e a diana mini conquistou-me desde o início.
  •          Com esta camara, é possível tirar dois tipos de fotografias, quadradas ou o equivalente a meio quadrado. A minha paixão são as fotos quadradas, por isso ainda não tirei nenhuma na segunda configuração (e já tenho a máquina há quase 1 ano… ) mas tal não deixa de ser um ponto positivo, que espero em breve por em prática.
  •          Uma das coisas que também me agrada na diana mini é a facilidade com que se opera a máquina. Se aqui o meu objectivo e fazer o menos possível em termos técnicos e deixar a máquina fazer a sua magia, não há máquina mais fácil de operar que a diana mini e isso é algo que considero essencial para quem se está a iniciar na lomografia

Deixo-vos aqui algumas fotos que tirei com a minha amiga para vos inspirar. Espero que as minhas dicas vos sirvam de alguma coisa se estão a pensar comprar uma lomo!

Picking the camera.

I will not lie to you if I tell you I spend almost three months picking my camera that would be ideal for me, with many trips to the lomography embassy here in Lisbon and many talks with my friends.

In the end I have decided to go with Diana mini for several reasons:

  •          Diana mini uses 35mm films, which are still very easy to find these days. When I go on holidays, I want to be relaxed and take my photos without thinking I will have to save them because I only have one film. This was a very important factor in my choosing.
  •          Diana mini is one of the cutest cameras ever. When I was a child I had a toy camera just like this one and I loved it, so, other than taking pictures, this camera is my favorite toy and I love to have fun with it. I think it is rather important to like the design of your camera, and Diana mini conquered my heart from the start.
  •          With this camera, you can take to type of pictures, squared pictures or the equivalent to half a square. My passion is suqared pictures So I haven’t taken any in the second configuration ( I can’t believe this, I have my camera for almost a year…) but this is still a high point that I am hoping I’ll put into action soon.
  •          One of the things I also love about Diana mini is the overall easiness of it. If my main goal was to  use as little as possible the technical part and let the camera do its magic, than this machine is amazing and very easy to operate, which I think it’s also essential if you are making your way into lomography.


So now I will leave you with some photos that I took with my friend to inspire you. I hope my tips will help you if you’re thinking about getting a lomo!


 



 










 Alcagoita

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Meias em crochet/ Crochet socks



A verdade é que nem acredito! Na minha cabeça, fazer meias era um monstro de 7 cabeças que só a minha avó conseguia domar. Quando era mais novinha, todos os anos recebia um ou dois pares em tricot, que me faziam os pés quentinhos. E eram especiais, porque foi a avó que fez.

Quando comecei a desbravar o processo de fazer meias em crochet, cheguei à conclusão que não era assim tão difícil, e mais uma vez consegui evitar o tricot que (ainda!!!) não sei fazer. No final, fiquei bastante surpreendida com o resultado, foram muito fáceis de fazer e apesar de ter demorado algum tempo a fazê-las (entre a tese e todos os projectos que tenho na faculdade, o tempo que sobra é pouco) acho que é uma daquelas coisas que qualquer pessoa consegue fazer. O mais engraçado foi quando as mostrei à minha avó, ela nem queria acreditar que se conseguia fazer meias em crochet! Parece que a aprendiza surpreendeu a mestra!


It is true and I can’t believe it! In my head, handmade socks were a terrible thing to do, and only my grandma could do it. When I was younger, every year I got one or two pairs of knitted socks that made my feet very happy. And they were special, because my grandma made them!

When I started to enroll the process of making crochet socks, I came to the conclusion that it was not that hard to make them and once again I could manage to avoid knitting, which I still (!!!!) can’t make. In the end, I was quite pleased with the result, they were extremely easy to make and although it took me some time (between my master’s thesis, and all the projects I have to do for college, I don’t have that much time) I think anyone can do them very fast. The funny thing was when I showed them to my grandma, she was amazed one could do crochet socks, instead of knitted ones! I guess the apprentice surprised the master!







Alcagoita

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

It’s tea time with Jake – mug warmer



Lembram-se quando criei este “It’s tea time with Finn”?



Desta vez, é hora do chá com o Jake e esta mug warmer que fiz para o Miguel. Para nós, as bebidas quentes (chás, cafés, capuccinos) são algo essencial nos dias frios e não há nada melhor do que ter canecas vestidas a preceito para uma tarde de chuva e filmes, ou então a ver a “hora da aventura”! A ideia desta vez não é original (mas adaptada) de uma imagem que vi no Pinterest:

Jake the Dog Coffee Mug Tea Cup Cozy

Do you remember when I created this “It’s aventure time with Finn?”



This time, It’s tea time with Jake and this mug warmer that I made for Miguel. To us, hot drinks (tea, coffee, cappuccinos) are a must in the cold days and there is really nothing better than having our mugs all dress up to an afternoon of rain and movies, or to watch “Adventure Time!”. This time, the idea is not mine ( I adapted it) from this amazing image I found on Pinterest:

Jake the Dog Coffee Mug Tea Cup Cozy


Alcagoita